Como funciona o anticoncepcional: mitos e verdades sobre o uso desse medicamento

Como funciona o anticoncepcional: mitos e verdades sobre o uso desse medicamento
Compartilhe:

Um dos métodos contraceptivos mais usados pelas mulheres também é cercado de dúvidas e mitos. Apesar da sua popularidade, muitas pessoas não sabem como funciona o anticoncepcional.  

Esse medicamento é um combinado de hormônios que foi aprovado para uso em 1960 nos Estados Unidos e, desde então, vem sendo melhorado. Ele possui diversas funções, além da mais popular, que é a prevenção da gravidez. Hoje em dia, o medicamento é, inclusive, recomendado por profissionais em alguns outros casos clínicos, reforçando que essas substâncias não devem ser utilizadas sem o acompanhamento por um médico ou farmacêutico, como veremos a seguir. 

Quer saber algumas verdades e desvendar alguns mitos sobre este medicamento? Então, continue a ler este artigo e confira como funciona o anticoncepcional. 

Como funciona o anticoncepcional 

A pílula contraceptiva tem um preço relativamente baixo e, em muitos casos, são efetivos para o tratamento médico recomendado. Geralmente, possui a combinação de hormônios como o estrogênio e progestagênio. A forma como o anticoncepcional funciona é inibindo a ovulação, fazendo com que o organismo não sofra as alterações hormonais que ocorrem no período fértil. Então, no caso da prevenção da gravidez, as chances de engravidar são menores, mesmo que existam relações sexuais onde haja ejaculação no interior do canal vaginal. Porém, vale ressaltar, as chances não são nulas. Além disso, mesmo com o uso de anticoncepcionais, é imprescindível que durante a relação também seja feito o uso de preservativos, que vão prevenir doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e reforçar a prevenção da gravidez. 

Além disso, o anticoncepcional impede a dilatação do colo do útero, o que leva o órgão a ter menos condições de desenvolver um bebê. É importante mencionar que este método pode ser reversível: caso a mulher queira engravidar, um especialista deve avaliar a suspensão temporária do medicamento, iniciando um processo de tentivas que, em alguns casos, pode requerer algum tempo ou tratamento específico. 

Atualmente, há diversos tipos de pílulas no mercado, sendo que as mais receitadas são: 

  • monofásica: possui a mesma dosagem de estrogênio e progesterona e é utilizada entre o primeiro e quinto dia da menstruação. Quando a cartela termina, alguns medicamentos necessitam de uma pausa de 7 dias sem a ingestão de nenhum comprimido, enquanto outros contam com a adminsitração de comprimidos placebo, normalmente de cor diferente do restante, durante esse período. 
  • minipílula: não tem estrogênio, somente progesterona. É indicada para quem está em período de amamentação. Deve ser usada todos os dias, sem interrupção. 
  • multifásica: combina diferentes dosagens de hormônios, conforme a fase do ciclo reprodutivo. Suas cartelas vêm com cores e indicações de uso. 

Mitos e verdades sobre o anticoncepcional 

Na sequência, responderemos algumas perguntas para desmistificar o uso desse medicamento. Lembramos que o ideal é consultar um médico ou um farmacêutico para tirar todas as suas dúvidas e descobrir qual é o tipo ideal para o seu caso. 

Anticoncepcional engorda? 

Isso é MITO! De modo geral, não há indícios de efeitos relacionados ao aumento de peso. Porém, é preciso ter o acompanhamento e indicação de um profissional, que recomendará a dose ideal de hormônios para cada mulher. Dependendo de qual for utilizado, o que pode acontecer é a retenção de líquidos. Porém, isso não tem a ver com o aumento de gordura corporal. Para evitar o inchaço, beba bastante água, tenha uma alimentação equilibrada e pratique atividades físicas.  

Ele pode provocar trombose? 

Essa é uma pergunta bastante polêmica. De forma geral, o anticoncepcional está associado aos fatores de risco que levam à formação de trombos no interior dos vasosPorém, a probabilidade de ocorrência desses eventos varia de acordo com os hormônios que são combinados, mas não apenas isso: o tabagismo associado ao uso de anticonceponais também potencializa as chances de ocorrência de trombose, por exemplo. Portantolembre-se que o correto é sempre ter o acompanhamento de um profissional, afinal, mulheres com histórico de trombose ou com mobilidade reduzida podem necessitar de uma avaliação mais criteriosa. 

Anticoncepcional é eficaz contra espinhas? 

Depende! O aparecimento da acne é vinculado aos hormônios femininos. Então, caso a mulher os possua em excesso, pode haver o aparecimento das erupções cutâneas quando utilizar o medicamento que também contenha esses hormônios. Porém, caso a paciente possua uma alta taxa de hormônios masculinos, o anticoncepcional pode ser uma solução para equilibrar os hormônios e, assim, diminuir a acne. Mas somente o seu endocrinologista poderá fazer essa avaliação. 

Posso engravidar tomando anticoncepcional? 

Sim! É possível engravidar tomando anticoncepcional. Porém, isso pode acontecer se relacionado a uma série de fatores. Primeiramente, precisamos lembrar que a pílula anticoncepcional possui, em média, 91% de eficácia contra gravidez indesejada. Entretanto, essa faixa de segurança só é considerada quando: 

  1. A administração é sempre feita no mesmo horário; 
  2. Não existe esquecimento da administração em nenhum dia. Caso aconteça, é válido procurar a orientação de médico ou farmacêutico de confiança; 
  3. A ingestão é sempre feita com água para garantir absorção correta. 

Além disso, outras substâncias podem causar uma interação medicamentosa, o que pode alterar o resultado da pílula. Dietas e diversos outros fatores, como vômito até 30 minutos depois da ingestão, podem ser responsáveis pela ineficácia do anticoncepcional.  

Caso tenha qualquer outra dúvida, procure o seu médico ginecologista ou, é claro, um farmacêutico. Durante sua conversa com o profissional, você poderá expor suas perguntas, receios e preferências sobre o uso do medicamento. Isso faz parte do empoderamento do paciente, como você pode ver mais neste link. 

E para continuar a receber dicas e informações sobre saúde, bem-estar e organização de medicamentos, acesse regularmente o nosso blog.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter
Receba nossos conteúdos com prioridade direto em seu e-mail