Bombinha de asma: como usar corretamente? Entenda agora

Compartilhe:

No último ano, desde que foi declarada a pandemia por conta do novo coronavírus, o mundo voltou sua atenção para a busca do melhor tratamento e imunização contra a Covid-19. Com sintomas variados, mas que, em geral, afetam o sistema respiratório, o assunto voltou a chamar atenção para doenças crônicas pulmonares, como bronquite e asma. E é sobre essa última que iremos falar. Nossa conversa de hoje é a respeito de uma forma de tratá-la: como usar corretamente a bombinha de asma. 

Se você ou alguém que você conhece faz uso desse item, fique atento a este artigo para saber o passo a passo de como utilizá-la. Entretanto, antes de mais nada, é importante explicar corretamente o que é a asma. Confira! 

O que é asma?  

Conforme a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT)a asma é uma doença inflamatória que atinge as vias aéreas que levam o ar para nossos pulmões. Ela causa sintomas que podem variar conforme o tempo de infecção e hora do diageralmente piorando durante o sono, como: 

  • sensação de aperto no peito; 
  • dificuldade para respirar;
  • chiado no peito; 
  • falta de ar; 
  • tosse. 

OMS estima que mais de 339 milhões de pessoas no mundo têm asma. Para receber um diagnóstico preciso, uma consulta médica com um especialista é necessária. Nesse momento, o profissional realiza a anamneseque são perguntas feitas pelo médico, como uma entrevista, com o objetivo de entender o seu quadro de saúde.  Para o médico ter uma conclusão precisa, a participação do paciente é fundamental, ou seja, sempre relatando os fatos corretamente, como horários em que costuma ter falta de ar, momentos em que o quadro piora.  

E lembre-se: ao conversar com o médico, não deixe nenhuma informação de fora! Mesmo que ela pareça não ser relevante para você, pode ajudar esse profissional a entender melhor o seu caso, e com isso, traçar soluções mais personalizadas para o seu problema.  

Por fim, para ter certeza do diagnóstico, o médico poderá solicitar um teste que permite verificar os volumes respiratórios ― ou seja, a quantidade de ar que entra e sai dos pulmões durante a respiração. Confirmado o quadro, ele irá acompanhá-lo em busca da melhor forma de tratamento.   

Como funciona a bombinha de asma? 

nebulímetro, popularmente chamado de bombinha de asma, é um aparelho que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida de pacientes com doenças crônicas pulmonaresEle libera substâncias na forma de partículas de gás que são inaladas durante o seu usodesse modo a bombinha funciona apenas como um dispositivo! 

O tipo de substância escolhida, entretanto, pode variar com as peculiaridades do quadro de saúde e caraterísticas respiratórias de cada paciente. Portanto lembre-se de tirar todas as suas dúvidas sobre esses aparelhos com o seu médico ou farmacêutico! 

Muitas pessoas podem ter receios em relação ao uso da bombinha. Mas não se preocupe! Como em todo tratamento contínuo, a terapia será acompanhada por profissionais da saúde que irão orientar e ajudar vocêAinda assim, caso se sinta desconfortável com o uso do medicamento, não deixe de expor suas queixas e incertezas. Afinal, isso é muito importante para o sucesso do tratamento! 

Como usá-la corretamente? 

A primeira informação que precisamos ressaltar é que a inalação deve ser realizada com o paciente em pé ou sentadocom a cabeça ligeiramente inclinada para trás. Caso contrário, o medicamento pode não chegar aos brônquios e pulmões. Também, em pé, a pessoa utiliza melhor o seu diafragma, o que permite respirar mais profundamente.  

Para facilitar o seu aprendizado, confira o passo a passo de como utilizar a bombinha de asma.  

  1. Agite o medicamento na posição vertical (em forma de “L”): essa ação permite diluir o medicamento nos gases do aerossol, homogeneizando as substâncias e uniformizando a dose.
  2. Mantenha o dispositivo ainda na posição em forma de “L”, com o indicador na parte superior, o dedo polegar na parte inferior e o bocal virado para baixo: essa é a posição correta da bombinha.
  3. Incline ligeiramente a cabeça para trás, como citamos acima.
  4. Expire lentamentesolte todo o ar dos pulmões 
  5. Coloque o aparelho na boca, feche os lábios e deixe a língua por baixo.
  6. Inspire profundamente ao mesmo tempo em que aciona o spray. Faça isso lentamente.
  7. Quando terminar de inspirar, segure o ar contando até 10 e, só então, solte. 

Caso você precise realizar mais de uma inalação, faça uma por vez, repetindo todo o processo que falamos acima. Mas não se esqueça: essas são orientações gerais e variações podem ocorrer entre um dispositivo inalatório e outro, por isso peça sempre orientações aos profissionais de saúde a sua volta. 

Quais as melhores práticas?

É importante ressaltar que a bombinha de asma deve sempre se manter limpa para evitar a proliferação de microorganismos. Além disso, após a sua utilização, você deve higienizar sua boca com água e escovar os dentes, uma vez que o medicamento inalado é diretamente direcionado para a garganta. Se você sentir algum incômodo nessa região, como pigarro, converse com o farmacêutico ou o médico quanto a possibilidade do uso de espaçadores, dispositivos que auxiliam na redução desse tipo de sensação. Eles farão a orientação correta sobre seu uso.    

Outra dúvida recorrente é sobre como saber se a bombinha está cheia ou não. Afinal, nem todos os dispositivos inalatórios possuem a contagem de doses na embalagem e o uso da bombinha vazia pode agravar o quadro, pois o usuário acreditará que está sendo medicado sem estar fazendo o uso de fato.  

Por vezes, somente agitando o frasco não é possível saber se ainda há medicamento. Nesse caso, a dica é retirar a latinha da capa de plástico e colocá-la em uma vasilha com água. Quando a bombinha boiar, é sinal de que já está vazia. Caso ela afunde, ainda há a presença da substância. Depois de finalizar o processo, é importante secar muito bem o dispositivo.  

Reforçamos que a bombinha de asma deve sempre ser utilizada com acompanhamento e recomendações de um profissional da saúde e que, em caso de dúvidas, você deve sempre questionar seu médico ou farmacêutico de confiança. Lembre-se, automedicação pode ser prejudicial ao seu tratamento e à sua saúde.  

Para continuar a receber nossas dicas sobre bem-estar e saúde, visite nosso blog semanalmente.  

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter
Receba nossos conteúdos com prioridade direto em seu e-mail